A Medalha

medalha alba lavras

A Medalha “Alba de Campos Lavras”, criada em 11 de setembro de 2007, pela PqC Márcia M. Rebouças na gestão do Dr. Percy, intermediada pelo Vice- Presidente da APqC, Estevão de C. Passos, é sinônimo de perseverança e dignidade, cujo marco está em sua face plantada em bronze, que deve ser oferecida a quem, como ela, demonstrou a tenacidade no que foi estabelecido, como aconteceu na criação da Carreira de Pesquisador Científico. A ciência como sonhou, sua luta, nunca deixando José Reis e Bernardo Goldmann de lado, dois de seus mais nobres colaboradores. Alba é sinônimo de caráter e de valorização da ciência.

 

POEMAS DAS CRIAÇÃO DA MEDALHA LABA DE CAMPOS LAVRAS.

Versos de Linda Nahas

ALBA

Acima das misérias desse mundo

Nutrida de ideais e de esperança

Através de procelas e bonanças

Das à tua vida o senso mais profundo

Não te abate na luta o cansaço

Nem te assusta a pressão da iniqüidade

No valor relativo de um fracasso

Tu buscas o absoluto da verdade

A grandeza real de teus valores

Rejeita concessões que os fracos pedem

Na insegurança vil de seus temores

E eu sei que as durezas dos caminhos

Tu sabes suportar e não impedem

Que transformes em rosas os espinhos

 

 

Versos de Márcia M. Rebouças

ALBA

Como uma pérola entalhada

Bordam os seus cabelos

Brancos a moldurar seu rosto

Este, dos mais belos

Canta suas oferendas

Mostra as suas marcas

Esquece as suas chagas

Demonstra as suas grandezas

Dê o que pode para quem pode

Conceda um título marcante

Vê se deixa para todo o sempre

O desafio de ser potente

Mulher aguerrida

Com total graça

Mostra sua essência no bronze

Marca a sua raça

Permeio por essa essência

Assusto-me por tão constante nobreza

Passa ela pela vida com prudência

Como exemplo fica a sua grandeza